3 Comments

  1. 1

    Yara

    « Traz » consequências
    E não « trás »

    Reply
  2. 2

    Jorge Oliveira

    O carinho é parte intrínseca de um relacionamento afetivo. Esteja ele em que fase estiver, não me parece algo verdadeiro se não há carinho, mas…

    É claro que Amar é muito diferente de amar, eu te amo, a mim não soa a mesma coisa com um eu te Amo! Afinal, quando se Ama alguém estamos lhe dizendo que nos importamos com ela em todos os momentos. Preocupa-nos com seu bem-estar, faça chuva ou sol. Ah!, mas estamos brigados, discutimos… E por isso deixou de Amar?, claro que não. Falhas de comunicação, pisadas de bolas – mesmo que não devessem podem ocorrer – e nem assim devem ser base ou alicerce para que se entenda como desamor, como falta de interesse, falta de sentimentos. Afinal o equilíbrio de um relacionamento contém seus altos e baixos, já que não se pode esperar uma vida ao lado de outra pessoa, apenas de bons momentos.

    Mas é tão verdade que nada a rotina é algo massacrante, é inevitável que o dia-a-dia com seus problemas seja administrado por ambos, e cabe a cada um dos dois se esforçarem para que ela não se instale. Ou no mínimo reduzir o impacto e seus efeitos nocivos. Caso contrário o barco vai ao fundo.

    Evitar que discussões contaminem o sentimento é dever de ambos. Levar as discussões de forma madura e sem ranços é dever de cada um, e não ocultar problemas, nem aumentar o que não tem cabimento é também obrigação de um e outro. Enfim, jogar aberto e às claras é o que faz a confiança se manter e assim levarem o relacionamento à frente com uma comunicação sadia. Salvo isso, se tudo vira campo e cavalo de batalha, pode-se entender que um ou ambos não tem interesse em preservar o relacionamento, mas não quer abrir a boca e por pra fora o que não mais lhe interessa levar em frente. É nesse momento que muitos usam a famosa frase citada no artigo: “Já não te amo, mas tenho muito carinho por você”. Ora pipocas, pegue-o e guarde-o no bolso, afinal se não Ama, nada se pode fazer, a não ser lembrar os bons momentos vividos – se sinceros foram. As vezes nem isso foi.

    O desamor? Bem ele se instalou e passe bem. Não há como segurar a barra se apenas um Ama. Ninguém, como se diz, consegue amar por sí e pelo outro. Nesse momento é inevitável assistir de cadeirinha o enterro do que um dia foi um lindo sentimento.

    Reply
    1. 2.1

      Moura

      Lindo comentários 👏👏

      Reply

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.